domingo, setembro 01, 2002

"Nada do que foi será, de novo, do jeito que já foi um dia
tudo passa, tudo sempre passará...
a vida vem em ondas como o mar
num indo e vindo infinito
Tudo o que se vê não é igual ao que a gente viu há um segundo
Tudo muda, o tempo todo, no mundo

Não adianta fugir, nem mentir pra si mesmo...
Agora, há tanta vida lá fora
Aqui dentro, sempre, como uma onda no mar..."

Caetano Veloso

sexta-feira, agosto 16, 2002

Não podia ir de férias sem deixar aqui uma pequena nota sobre o que me aconteceu nos passados 4 dias. Pela primeira vez na minha vida realizei um sonho que pensei não passar disso: fui parte integrante de uma orquestra sinfónica e não caibo em mim, sequer, de tanto entusiasmo! Foi das experiências mais fantásticas da minha vida ter participado neste festival internacional de música, o primeiro de Viana do Castelo! Uma experiência que não hei-de esquecer tão cedo, certamente e por vários motivos: Conheci pessoas fabulosas com histórias de vida também fantásticas e que fazem música linda (em parte a história de vida reflecte-se na música que se faz, daí esta se tornar tão rica e tão própria) e conheci também uma cidade lindíssima repleta de gente acolhedora que teve a audácia de realizar um festival do calibre deste!
Sinto que, para mim, este foi o pontapé de saída para encarar o papel da música na minha vida de uma forma mais séria e, talvez, mais profissional. A música é uma forma de estar e de ver o mundo, diferente e essa diferença de sentir as coisas agrada-me muito e faz-me feliz. Que quero mais?

terça-feira, julho 09, 2002

Filhos e cadilhos...

Já diz o velho ditado que quem "não tem filhos não tem cadilhos" e, por ser ditado, será contentor de pitada de verdade, pelo menos retrata o conhecimento empírico secular, mas... terá uma vida sem cadilhos, relacionados com aqueles serezinhos gorduchos, a mesma piada que aquela em que eles estão presentes para nos arruinarem a paciência mas ao mesmo tempo que nos arrancam um sorriso ou uma gargalhada com o seu ar inocente e perfeitamente irresistível?! cada um é livre de escolha, é certo mas como este é o meu (muito egocêntrica)espaço terei que defender a minha posição, já conhecida de muita gente amiga, e que é: claro que os devemos trazer ao mundo e, se possível, em quantidade. Eu, se nada nem ninguém se opuser (como diria o padre) pretendo encher a minha vida de muitos diabinhos que certamente me farão "vibrar" em muitas situações ao longo das nossas vidas e, muito sinceramente, não creio que esta faça sentido sem a "agradável agitação" proporcionada pelos filhotes.Como diria um amigo meu, os filhos são o sal da vida, sem eles tudo parece igual e sem sabor....

Um beijinho muito especial para o pequeno Samuel de 4,1Kg e 51cm que às 5h da tarde de ontem (9/7/2002) abriu os olhos ao mundo e já agora um beijinho, também especial, aos papás dele que foram sensatos na decisão!...
Hoje sinto-me particularmente feliz... uma felicidade efémera, talvez, mas capaz de me fazer abrir a boca e gritar de "pulmão cheio" o quão grata estou de poder ser considerada uma entre muitos os que habitam este magnífico lugar global ao qual se dá o nome de planeta terra. O ser humano, mesmo sendo dotado de uma "inteligência" que lhe permite centrar-se e concentrar-se é, inevitavelmente, controlado por ímpetos, como este meu, que de uma hora para outra o fazem "renascer" e ver o mundo como se pela primeira vez! Dá-se um regresso à origem, ao ponto de partida, e que faz relembrar as coisas mais fantásticas que alguma vez já vimos e que, tristemente, esquecemos com uma rapidez ultra-sónica... é uma chamada de atenção à nossa constante desatenção e que nos afasta do que é importante, a essência das coisas! todos corremos de um lado para o outro, andamos a passo largo, de olhos pregados no chão e nem nos lembramos de contemplar, no caminho para os deveres e afazeres, aquilo que nos fascinou e nos deixou perplexos ao primeiro contacto visual: o mundo! como será possível esquecer que o céu existe e que lá está, azul, todos os dias para nós, repleto de luz; o mar (que aqui é lindo) e que é a tradução da energia que este lugar fantástico emana. Serão estes motivos insuficientes para se sentir um felicidade animadora e agradecida, de se respirar ainda? não são certamente, são até de sobra! mas as nossas exigências são demasiadas... sonhamos em ter o que não temos e desprezamos aquilo que nos é dado de bandeja e que pode ser tão mais importante que um qualquer objectivo fútil que esteja na base de uma pseudo-felicidade! a vida é fantástica e a nossa única tarefa de agradecimento é vivê-la com um sorriso esboçado na cara e uma atenção cuidada ao que nos rodeia... e diga-se... não é pouco!

domingo, julho 07, 2002

Relações ou ralações??? valerá ainda a pena, nos dias de hoje, a entrega cega e confiante do nosso coração sem ponderar a questão do que lhe poderá suceder ao cair em mãos erradas? Será que aquilo que se ganha com o risco corrido é tão maior do que a dor que se pode fincar em nós para todo um sempre?? Venham os matemáticos e contabilizem o peso nos pratos da balança e cheguem à conclusão que os sentimentalistas do mundo inteiro tanto anseiam:ariscar ou não o nosso orgão vital numa jogada que tanto pode ser fatal como mostrar-nos a essência da vida! eu n sou matemática e como tal espero, impaciente,a resposta,
se alguém souber...

sexta-feira, julho 05, 2002

Mais um dia, mais uma experiência e mais uma aprendizagem... será suposto batermos com a cabeça em todos os obstáculos que encontramos à nossa frente para mais tarde podermos dizer, orgulhosamente... "já passei por isso"?? não nos basta a crença na palavra dos outros de que este ou aquele não são os melhores caminhos a percorrer numa determinada situação? Não!! somos teimosos... queremos ver pelos próprios olhos a desgraça que nos é comentada por gente alheia e que tenta poupar-nos ao erro... e o erro às vezes é tão grande... e tão irremediável que toda a lógica da "experiência como aprendizagem" perde a razão de ser... e nós somos nada... meros curiosos apanhados na teia da nossa curiosidade e descrença nos outros....
q nao admite a sua perdição
inflexivel nos seus propositos
julgas saber exactamente o q queres
no entanto, vais batendo aqui e ali com a cabeça
e mantens um determinismo absoluto
como se tivesses tudo absoluta e totalmente controlado
gostas de aventuras mas nao és mto excentrica
és o tipo de pessoa q nao se deixa levar com facilidade
que se pensa de olho sempre bem aberto
mas q tem, apesar de tudo
a mais humana das fraquezas... um coraçao palpitante e bondoso
nos entretantos...
deixas-te levar pelas loucuras dos outros
mas nao gostas de situaçoes limite
os extremos atraem-te
mas o "edge" deixas pra outros
vives em velocidade de cruzeiro
qdo mtas vezes querias parar e depois disparar a alta velocidade
gostas de um miudo... parece-me
mas mantens, quiça um orgulho feminino
...
o teu sonho.......
q tens medo q nao se concretize
é teres alguem q te envolva nuns braços musculados
e tome conta de ti...
pq tens um eterno receio de falhar
e precisas de um ancora por ai algures
onde te agarres nos teus momentos de fraqueza
no entanto...
fora destas alturas
achaste uma mulher independente
e capaz de mundos e fundos
mas és facilmente vulnerabilizável
qé q faltava?
nao admites q traiam a confiança q depositas em alguem
e deves ser bem inflexivel nisto
o desapontamento em amizades ou amores ou seja la no ke for
deixa-te absolutamente de rastos e fora de ti
nao esperas q te traiam
e sentes-te traida na importancia q das a certas pessoas
q acabam por te desapontar
levas uma vida relativamente planeada
mas os planos deixam-te como q presa num mundo incerto
as coisas nem sempre sao como as pensaste....

quinta-feira, julho 04, 2002

Decidi-me!! apartir de hoje vou "tentar" gravar electronicamente alguns feitos ou pensamentos do dia, para que daqui a muitos anos (espero) os possa reviver com os netos (se possível). Como este dia é experiência.... creio que fico assim ;)